Cartomancia - por Emmanuel

sexta-feira, janeiro 05, 2007

Profecias...

Eu não acho que metal tenha a ver com Tarot, mas uma cena desse clipe me fez refletir sobre um tema recorrente entre os meus clientes: a questão da desgraça. Nem sempre podemos ter um prognóstico feliz para o consulente, mas, em especial os mais crédulos, juram de pés juntos que iremos ver mortes, doenças... Enfim, coisas que numa boa consulta não são relevantes. A relevância está em como evitar, como contornar as situações negativas que porventura estejam no caminho do consulente. Não em expor situações que não poderão ser alteradas.
A cena a qual me refiro é aquela em ue a consulente, visivelmente preocupada, recebe o prognóstico de uma "cigana", baseado nas cartas da Torre e do Diabo do Rider-Waite. Como terá sido dada a notícia? Será realmente interessante preocupar o consulente? Ou, mais que isso, atemorizá-lo?

Eu acredito que uma consulta de Tarot deva apresentar mais que situações-problema; deva apresentar também possíveis soluções baseadas na correlação dos arcanos entre si mesmos, ou, no caso de um prognóstico extremamente infeliz - uma morte, por exemplo - permitir que o consulente procure ajuda - especializada, espero - para se confrontar com o Anjo Negro. Não mais que isso.